quarta-feira, 1 de Abril de 2009

Algumas questões pertinentes ao desenvolvimento humano

Muitas são as teorias e muitos são os conceitos sobre o Desenvolvimento Humano. Este é portanto, um tema bastante abordado desde há algum tempo, o qual tem deixado muitas questões suspensas.

Actualmente e mais do que nunca continua a ser abordado e analisado, continuando igualmente a deixar em suspenso determinadas questões, tais como:


- Quais os factores relevantes para o desenvolvimento humano?

- Quando se dá por terminado o desenvolvimento humano?

- Porque é o ser humano tão semelhante e ao mesmo tempo tão diferente?

- O que nos leva a agir de determinada forma?

- Afinal, quem sou eu?

Relação da Psicologia do desenvolvimento com a educação ao longo da vida

Desenvolvimento humano, é o processo pelo qual o Homem passa para se tornar biológicamente maduro e autónomo. Estudar o desenvolvimento humano em todo o seu contexto, é algo complexo, dado que existe necessidade de abordar, analisar e aprofundar as características antropológicas, sociológicas e psicológicas.



Biológicamente, todos sabemos que o desenvolvimento começa com a fecundação ,seguida da evolução do embrião enquanto no ventre materno, que chegado à sua fase final, dá-se o início do parto. Após o parto, continuamos o nosso processo de desenvolvimento biológico.



Psicológicamente, o desenvolvimento humano, é entendido como cientifíco, dado que se estudam as mudanças que ocorrem no ser humano ao longo da sua vida e neste campo, incluem-se a adolescência, o desenvolvimento da fase adulta e o envelhecimento, bem como aspectos de toda a vida, passando pelas habilidades motoras, desenvolvimento cognitivo, resolução de problemas,moral, entendimento. compreensão, aquisição social, desenvolvimento emocional, bem como a formação identitária.



Considera-se então o desenvolvimento humano, como sendo "um processo contínuo de mudança psíquica que ocorre ao longo da vida", desde a fecundação até à morte. Actualmente a idade adulta e a velhice, continuam a ser temas abordados e analisados, pois o ser humano dada a sua capacidade de aprendizagem, flexibilidade e adaptabilidade está sempre em constante desenvolvimento até à sua morte.



No fundo, a psicologia do desenvolvimento, centra-se na pessoa, nas suas "mudanças ao longo da vida", as quais passam por "alterações quantitativas e qualitativas".



O Universo tem o privilégio de ter entre muitas outras coisas, um número vastro e variado de seres vivos, entre eles o ser humano, o qual e cada vez mais, costitui alvo de investigação. Muitas são as questões que se colocam em relação ao seu desenvolvimento e aos factores que para ele contribuem, tais como:



-"o pólo do inato";



- "da hereditariedade";



- "da natureza";



-"o pólo do adquirido";



- "o pólo do meio";



- "o pólo da educação".



Reflectindo um pouco, o ser humano possui alguma carga genética que vai contribuir para o nosso desenvolvimento, mas também outros factores participam activamente, como o meio familiar e social, a educação familiar e escolar, os valores transmitidos, as experiências vividas, as aprendizagens realizadas, os conhecimentos adquiridos e a nossa facilidade de flexibilidade e adaptabilidade com que enfrentamos as mudanças e as alterações, as quais mudam e transformam a nossa forma de agir, de pensar, de ser, de estar, os nossos comportamentos...Afinal quem sou eu?...



" Aidentidade constrói-se ao longo da vida, e é um processo dinâmico que envolve necessáriamente mudança. Os processos biológicos, os factores sociais e as experiências pessoais são os motores das mudanças inerentes a todos os processos de adaptação, portanto da vida".

Bibliografia- Universidade Aberta,2009, Psicologia do desenvolvimento.Texto 2, Diferentes vertentes do Desenvolvimento Humano.





"Casa de pais, escola de filhos"

A quase ausência de comportamentos inatos, a imensa possibilidade e capacidade de aprendizagem e o gosto pela exploração do meio, são factores que distinguem o homem dos outros seres vivos.

Quando nascemos, somos considerados seres inacabados, pois precisamos de aprender e desenvolver tudo o que necessitamos para sobreviver com autonomia. Somos dependentes dos nossos progenitores, que nos vão transmitindo informações e conhecimentos relevantes para o nosso desenvolvimento pessoal. No entanto, também cada um de nós durante o nosso período de neotenia vai ganhando alguma flexibilidade e adaptabilidade, criando assim ao mesmo tempo determinadas características pessoais, o que nos torna diferentes uns dos outros. Ou seja, durante o longo processo de neotenia, e devido á grande capacidade de aprendizagem de que somos dotados, aprendemos "devorando" o que nos ensinaram os nossos progenitores, o que aprendemos relacionando-nos com os outros, o que aprendemos com o meio social e também o que aprendemos na escola, logo, "Casa de pais, escola de filhos", não tem toda a veracidade que o povo lhe dá, embora se receba um "património de informações genéticas em partes iguais do pai e da mãe", também cada um de nós recebe outros contributos do meio que nos rodeia, adquirindo assim ao longo da nossa vida diferentes conhecimentos e aprendizagens; diferentes experiências; sofremos evoluções e estamos sujeitos a profundas e constantes alterações a vários níveis: tecnológico, social, cultural, etc. e porque temos facilidade de adaptabilidade perante todas estas alterações, alteramos também o nosso modo de agir, de ser, de pensar, de comportamento, ou seja, mudamos. Inovamos, esta inovação vai criar uma nova geração com toda a certeza em moldes completamente diferentes daqueles que os nossos progenitores o fizeram." Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades".

Bibliografia - Universidade aberta, 2009,Psicologia do desenvolvimento, texto 1,As grandes questões sobre a Natureza Humana.